Palavras cruzadas e um pouco de café.







segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Sinfonia de Café

Que tal um pouco de café numa noite solitária? Uma das melhores bebidas do mundo e a melhor companhia também. Não é atoa que nos intervalos dos vários goles quentes e amargos, vem-me à mente aqueles antigos pensamentos os quais sempre assolam-me em um dado momento de meu dia. Parar e refletir sobre a vida é sempre muito nostálgico, nostalgia esta constantemente adquirida através da cafeína. Pensar, refletir e melhorar, são os passos rumo ao aperfeiçoamento, a algo melhor, ao bem estar com o ego. Um caminho intimista, porém prazeroso devido ao advento do café.

domingo, 19 de agosto de 2012

Amor deveras


Abraços demorados, cheirinhos, carinhos, beijinhos... Demostrações de afeto que são muito mais gostosas quando vindas de quem a gente realmente gosta. É prolixo, mas os casos de amor "não-realizado" continuam constantes e por vezes chegam a durar anos e anos. Sem dúvida, esse é o tipo de sentimento que mais dói. Querer algo incostante, é normal aos nossos padrôes "romanticos" atuais, é o que antes
 era chamado por Gonçalves Dias e tantos outros, de exaltação da coisa amada, porém em uma perspectiva modernista na plenitude do século 21.
A coisa amada em questão não é de fato uma "coisa", com efeito, é um conjunto de coisas que configuram um ser, sendo este amado, desejado e inalcansável. Seja momentâneamente ou, nos piores casos, eternamente, o ser amado aqui é de verdade inalcansável chegando a ser, enaltecido.
Amar se torna inevitável mesmo quando muitas vezes, quem amamos já esteja amando outro alguém. Ama-se pelo cheiro, pela incostância que o outro dá, e em vários casos, pelos momentos partilhados que seguem numa memória reativada a toda hora fazendo com que a saudade fique insuportável. Amar aqui se torna mais belo, por querer ao outro a sua felicidade mesmo que não seja ao nosso lado.